Curso Objetivo

Login ou senha incorretos
0800 77 00 189                

A Conservação da Natureza


A conservação da natureza é a utilização racional dos recursos naturais, englobando a utilização sustentada, a conservação dos ecossistemas naturais e a regeneração dos ambientes já degradados. Dentre os ecossistemas de relevante importância para a vida na Terra, aparecem as florestas que,
no dizer dos ecologistas, são o sustentáculo da vida no planeta. As florestas são importantes porque atuam nos seguintes processos:

  1. Manutenção do equilíbrio entre O2 e CO2
    Por meio da fotossíntese, as florestas absorvem CO2 e eliminam O2.
  2. Estabilização do clima
    Através do equilíbrio da temperatura e das precipitações atmosféricas, por atuarem na formação de nuvens.
  3. Proteção dos rios e dos solos – manutenção da vida animal.

Veja a importância da vegetação nas zonas de mananciais, ou seja, regiões das nascentes ou fontes de água. Quando chove, as plantas facilitam a percolação, isto é, a penetração da água no solo. Não havendo vegetação, a água corre e não penetra.

A água vai entrando no solo até atingir rochas impermeáveis, quando forma os chamados lençóis freáticos, verdadeiros riachos subterrâneos. Afluindo à superfície, esses riachos formam as nascentes ou fontes de água, origem dos rios. A destruição das plantas diminui a percolação, os lençóis freáticos secam e desaparecem as nascentes e os riachos.

A Conservação da Natureza

Nas margens dos rios e riachos aparecem as matas ciliares que, além de abrigarem muitos animais, protegem essas correntes de água. Quando o homem elimina essa vegetação, sucedem-se a erosão, o assoreamento, as enchentes e o desaparecimento de riachos e rios nos períodos de estiagem. Com a destruição das florestas, o ar e o solo ficam extremamente secos, as chuvas diminuem e aparecem os desertos. Um instrumento de preservação ambiental são as unidades de conservação (UCs). Essas unidades são porções do território nacional, incluindo as águas territoriais, com características naturais de relevante valor, com garantias de proteção e mantidas sob regimes especiais de administração. Os seus principais objetivos são:

  1. Preservar a biodiversidade.
  2. Proteger as espécies raras, endêmicas, vulneráveis ou em perigo de extinção.
  3. Incentivar o uso sustentável dos recursos naturais.
  4. Proteger e recuperar recursos hídricos e edáficos.
  5. Favorecer condições para a educação ambiental e o turismo ecológico.
  6. Preservar, provisoriamente, extensas áreas naturais ou pouco alteradas até que estudos futuros indiquem sua adequada destinação.